Petrópolis, Teresópolis e Brotas – Roteiro de Viagem de 10 dias

Nascente Areia que Canta

Quer viajar na pandemia obedecendo aos protocolos de segurança e ainda conhecer lugares incríveis? Um roteiro nada usual com muita natureza, trilhas e cachoeiras.

Dia 1:

Quitandinha e Churrascaria Lago Sul em Petrópolis

Chegamos em nossa pousada, fizemos check in e de lá fomos conhecer o Palácio da Quitandinha e os arredores e depois uma parada para almoço na churrascaria Lago Sul.

Após o almoço, passamos pela Casa da Ipiranga, também conhecida como Casa dos 7 Erros, pelas diferenças entre os lados esquerdo e direito. Tentamos ir no Parque Natural Municipal em frente, mas estava chovendo e não deixaram entrar.

Essa não era nossa primeira visita a Petrópolis, então nosso foco foi conhecer os lugares que não fomos ainda e preferencialmente ao ar livre. Em nossa visita anterior pré pandemia fomos também no tour da cervejaria Bohemia, na linda Catedral São Pedro de Alcântara, no Relógio das Flores, no Museu da Casa de Santos Dumont, no Museu Imperial e no Palácio de Cristal. Todas essas atrações nós fizemos em um único dia em outra visita à cidade e gostamos muito!

Dia 2:

Parnaso Petrópolis.

Alguns alertas: Diferente do Parnaso Teresópolis, o de Petrópolis não tem lugar para estacionar. Tem alguns estacionamentos privados próximos, mas sendo baixa temporada e dia de semana, estavam fechados. Conseguimos parar no restaurante Tourinho e prometemos almoçar lá na volta em troca de abrigo para o carro. A estrada até lá também é bem esburacada, o que nos desanima a ir de novo.

A trilha que escolhemos foi a do Véu da Noiva, passando pela Gruta do Presidente. A ideia era esticar até a Cachoeira das Andorinhas, mas o caminho parecia bem perigoso, com mata fechada e pedras escorregadias, e preferimos não arriscar. A trilha toda do Véu da Noiva tem 3km e é bem tranquila, e ficamos umas 2h e 30min no parque. Único ponto de atenção são as duas travessias de rio, uma em especial um trecho bem perigoso em que é preciso pular o início da queda de uma cachoeira. Se tiver risco de tromba d’agua, não arrisquem.

Após essa trilha, passamos pelo Circuito das Bromélias nos poços maravilhosos e pelo belo trecho com bambus. Esse Circuito é bem tranquilo e refrescante em um dia de calor.

Dia 3:

Parque Natural Municipal Montanhas de Teresópolis

Saímos de Petrópolis e em 1h chegamos em Teresópolis. Optamos por nos hospedar lá, mas as cidades são bem próximas caso prefiram bate e volta. No primeiro dia fomos no Parque Natural Municipal Montanhas de Teresópolis, que é gratuito e bem vazio, frequentado mais pelos moradores para passeios em família. Estacionamos por 10 reais em uma pousada próxima, mas há um recuo que cabem uns 4 carros bem na entrada do parque em que vi outras pessoas pararem. A trilha até a Pedra da Tartaruga tem apenas 650m e é possível fazer em uns 20min. Conhecemos a linda Pedra da Tartaruga e depois fomos na nova trilha com pontes suspensas chamada Vidocq Casas. Ela tem 2,5km de extensão (ida e volta), mas é bem plana, então é tranquila para caminhar até com crianças. Há ainda outras trilhas maiores, como a da Pedra do Camelo, que com mais tempo vale a pena conhecer.

Essa também não foi nossa primeira visita a Teresópolis e recomendo muito que façam os demais passeios no local que são mais famosos. Nosso roteiro de um dia você encontra aqui.

Dia 4:

Cachoeira que não consta no mapa

Essa dica foi do dono do nosso Airbnb em Terê e é uma cachoeira próxima ao Haras Raio de Sol que não aparece nos mapas online. Fomos conferir e nos perdemos muitas vezes até encontrá-la, mas no caminho encontramos outras cascatas também.

Se quiserem ir, basta colocar o Haras no mapa e seguir a trilha escondida ao lado desse muro com grafite da foto.

Dia 5:

Mirante do Soberbo em Teresópolis e partida para Brotas

Saímos de Terê após uma pausa rápida para fotos no mirante da cidade e percorremos 8h até a cidade de Brotas. Na infância eu já havia ido muitas vezes para lá, mas a estrutura da cidade cresceu muito e vale a pena ir de novo nos incríveis parques com cachoeiras locais.

Nossa escolha de hospedagem foi o Vila Poção, por ter bastante contato com a natureza, espaço e ter cozinha para poder fazer as refeições ali e nos isolar na pandemia.

Assim, ao chegar já fomos agraciados com um belo pôr do sol direto da varanda e um céu estrelado à noite.

Dia 6:

Areia que Canta

O Areia que Canta estava fechado durante o período que fomos e só podia fazer passeio quem fosse hóspede, mas liguei com antecedência e pedi uma exceção para nós dois. Aconselho que mesmo se estiver funcionando normalmente, liguem antes de ir e façam a reserva, pois o local é disputado.

O Day use não é barato – 270 reais por pessoa, mas está incluso café da manhã, almoço, chá da tarde e todos os passeios do local.

Fiquei completamente apaixonada pelo lugar. Além das belezas naturais da nascente, dos deliciosos banhos de cachoeira e de poder andar de pedalinho, stand up paddle e muito mais, ainda tinha um atendimento tão maravilhoso que não se igualou a lugar algum. Na verdade, na cidade inteira fomos muito bem recebidos, mas no Areia tivemos uma recepção calorosa excepcional.

No nosso caso, agendamos para o circuito pela nascente, seguido do pulo na cachoeira e por fim uma hidromassagem natural logo após o café da manhã (10h). É obrigatório ir com os guias pela segurança e preservação e também para eles demonstrarem o barulho de cuíca que a areia faz com o atrito. O circuito todo é lindo e demora em torno de 3h. Importante: precisa de calçado fechado para entrar nas cachoeiras. Lembram da sapatilha que comprei na Colômbia para proteger o pé dos ouriços? Pois esses 15 reais muito bem gastos foram úteis até hoje, 5 anos depois.

Voltamos já no horário do almoço e, após a refeição, descansamos nas redes oferecidas. Caminhamos pela propriedade, andamos de pedalinho e terminamos a tarde tomando caipirinha na piscina aquecida. Um sonho, né? Antes de ir embora, passamos na Venda Santo Antônio e compramos alguns aperitivos e bebidas.

Horário do day use: 8-18h

Incluso no day use o Circuito Areia que Canta e as trilhas pela propriedade, além de stand up paddle, pedalinho, mini golf, vôlei, quadra de tênis e piscinas. Não incluso: Bebidas alcoólicas, vara de pesca, tirolesa, armários e toalhas (pagamento à parte).

Dia 7:

Recanto das Cachoeiras

Ficamos em dúvida entre ir no Cassorova e no Recanto, mas a previsão era de chuva e vimos que a estrada até o Cassorova era de terra, então optamos pelo Recanto. Por sorte, não choveu, e aproveitamos bastante mais um lugar lindo.

Começamos pela pequena trilha pelas duas cachoeiras do local, tão lindas que parecem feitas artificialmente, descansamos um pouco no local denominado Oásis, que tem um lago artificial com areia, e eu aproveitei para fazer stand up paddle ali, já incluso no ingresso. Por fim, ficamos o resto do dia no cartão postal do local, que é a piscina com borda infinita e vista para a montanha. As piscinas também são aquecidas e possuem hidromassagem, então basta sentar e relaxar.

Valor da diária: 150 reais

Dia 8:

Poção Brotas

Dia de emoção! Pela manhã fizemos o Air Pass do Poção, que tinha Arvorismo com duas tirolesas, Skyrider, a primeira Tirolesa em curva e que lembra uma montanha russa suspensa, e o Vôo do Poção com 1km de tirolesas passando pelo rio Jacaré. Os três são muito legais, em especial o Arvorismo e o Vôo.

Almoçamos ali no Poção mesmo, comida e atendimento muito bons, e depois fomos para nosso rafting com a Alaya. A saída do rafting não é do Poção, então fomos de carro até o centro para sair da agência.

Realmente o Rafting é o destaque em Brotas! O passeio todo é muito divertido e remamos de costas, frente, girando, enfim, de todas as maneiras possíveis e com muitas quedas d’agua. Ao fim ganhamos um drinque de cachaça com mel muito bom também.

A gente teve desconto nos passeios porque nos hospedamos lá, mas pelo site o Air pass sai por 200 reais e rafting por 175 reais.

Dia 9:

Águas de São Pedro

Só paramos para almoçar ali, mas já passeei pela cidade algumas vezes e pode ser uma opção antes de voltar.

Brotas com certeza tinha opções de passeios para vários dias, e ficou para uma próxima viagem o Cachoeira 3 quedas, Cassorova e o Parque dos Saltos. Esse último é gratuito, mas estava fechado na pandemia.

Dia 10

É possível continuar e conhecer outros locais próximos, como São Pedro, São Paulo, Campos do Jordão ou voltar para casa. Nós optamos por São Paulo, que já tem um roteiro bem legal aqui.

Onde se hospedar

Petrópolis

Pousada Golf Village – Os quartos são amplos e confortáveis e eu precisava de internet rápida para fazer um curso à noite, o que foi atendido com um wi-fi muito bom. Também gostamos do local ter restaurante com mesas em local aberto, mais seguro durante a pandemia. Ainda é possível brincar no mini golf de lá, o que é bem legal. Aviso apenas que a pousada é pet friendly, o que pode gerar barulho de latidos bem cedo. Recomendo a pizza na pedra à noite, uma delícia!

Teresópolis

The Lodge – Anfitrião muito simpático com um quarto impecável, cozinha, pátio e até churrasqueira. Fizemos todas as nossas refeições ali, seja pedindo delivery, fazendo churrasco ou cozinhando mesmo e passeamos pelos arredores. Como falei, precisava de um bom wi-fi para estudar e ali a internet é muito boa e a mesa ainda tem vista para as montanhas. Tudo perfeito!

Brotas

Vila Poção – Escolha perfeita em Brotas. O simpático chalé era limpíssimo, ao lado do Poção, onde fizemos nosso turismo de aventuras. É um pouco distante da cidade, mas conseguimos entrega da pizzaria A Boa Pizza, já que o ifood ainda não entrega lá. A distância vale a pena pelo contato com a natureza, o silêncio, o quarto amplo com cozinha, mesa e varanda e até com varal para secar a roupa molhada pós cachoeiras. Além de tudo, o check in foi sem contato e tudo o que precisei foi rapidamente atendido via whatsapp. O café da manhã é à parte, mas pedimos por 15 reais por pessoa e veio muito suco, pães, geléia, manteiga, um bolo enorme, muitos morangos, iogurte e granola. Sobre o wi-fi, consegui fazer até reunião online lá sem problemas e não caiu nem quando choveu.

Onde Comer

Como viajamos na pandemia, o foco era contato com a natureza, locais abertos, viagens de carro e, de preferência, fazer as refeições na hospedagem. Sendo assim, temos algumas dicas de delivery e poucas de restaurantes.

Petrópolis

Churrascaria Lago Sul

Vista linda da Quitandinha e um Cupim inesquecível! Quero voltar lá só para isso.

Valleju

Não é um restaurante, é um mercado, mas considerando que o foco era cozinhar, achamos muito bom pela variedade de coisas do local e a facilidade do self check out.

Teresópolis

Imbuhy Restaurante

Pedimos delivery no The Lodge e amamos tanto o Risoto Funghi quanto o polpetone. Veio tão bem servido que comemos mais de um dia!

Brotas

Poção Brotas

A picanha na chapa deles estava uma delícia, além do ótimo atendimento!

A Boa Pizza

Era o único lugar que entregava e foi muito bom comer uma pizza quentinha e farta de recheio após uma longa viagem!

3 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s